Uma abordagem arquivística dos recortes de jornal

Autores

  • José Francisco Guelfi Campos Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

DOI:

https://doi.org/10.29327/263416.1.1-4

Palavras-chave:

Recortes de jornal, Tipologia documental, Diplomática arquivística, Descrição documental

Resumo

Os recortes de jornal, presentes em arquivos de natureza institucional ou naqueles acumulados por indivíduos, impõem desafios teóricos e práticos a todas as etapas do tratamento documental. Este artigo explora alguns desses desafios, especialmente aqueles relacionados à descrição, com ênfase no reconhecimento das espécies e tipos documentais que caracterizam o material usualmente nomeado pela expressão genérica “recortes de jornal”. Para tanto, discute o estatuto documental dos recortes, na tentativa de enquadrar sua existência nos arquivos como o reflexo de uma prática social enraizada numa longa e rica tradição. Ainda, demonstra como os conceitos da diplomática podem ser articulados aos aportes de outros campos disciplinares, tais como o jornalismo, a comunicação social, a editoração e a linguística aplicada, o que resulta numa metodologia de análise por meio da qual se torna possível identificar, nomear e definir as espécies documentais derivadas da atividade jornalística encontradas nos arquivos sob o formato de recorte. Por fim, o trabalho apresenta definições de espécies documentais que podem ser empregadas na descrição unitária e serial dos recortes, e conclui apontando possíveis desdobramentos para a pesquisa, sobretudo no que diz respeito à manifestação das espécies ligadas ao jornalismo digital.

Referências

BAUTIER, Robert-Henri. Leçon d’ouverture du cours de diplomatique à l’École des Chartes (20 octobre 1961). Bibliothèque de l’École des Chartes, Paris, n. 119, p. 194-225, 1961. Disponível em: <http://www.persee.fr/doc/bec_0373-6237_1961_num_119_1_449619>. Acesso em: 28 fev. 2017.

BELLOTTO, Heloísa Liberalli. Concepto de especie documental como antecedente al tipo en la teoría archivística. Boletín ANABAD, Madrid, v. 68, n. 3-4, p. 446-455, 2018.

BELLOTTO, Heloísa Liberalli. Diplomática e tipologia documental em arquivos. 2. ed. Brasília: Briquet de Lemos, 2008.

BELTRÃO, Luiz. Técnica de jornal. Recife: Instituto de Ciências da Informação, 1964.

CAMARGO, Ana Maria de Almeida; BELLOTTO, Heloísa Liberalli (coord.). Dicionário de terminologia arquivística. 3. ed. São Paulo: Associação de Arquivistas de São Paulo, 2012.

CAMARGO, Ana Maria de Almeida. Arquivos pessoais são arquivos. Revista do Arquivo Público Mineiro, Belo Horizonte, v. 45, n. 2, p. 26-39, jul./dez. 2009.

CAMARGO, Ana Maria de Almeida. Contribuição para uma abordagem diplomática dos arquivos pessoais. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 11, n. 21, p. 169-174, 1998.

CAMPOS, José Francisco Guelfi. Recortes de jornal: da prática social aos arquivos. 2018. Tese (Doutorado em História Social) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018. Disponível em: <https://teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-04042019-125418/pt-br.php>. Acesso em: 26 nov. 2021.

CHABIN, Marie-Anne. Je pense donc j’archive: l’archive dans la société de l’information. Paris: L’Harmattan, 1999.

COSTA, Lailton Alves da. Teoria e prática dos gêneros jornalísticos: estudo empírico dos principais diários de cinco macro-regiões brasileiras. 2008. Dissertação (Mestrado em Comunicação Social) – Universidade Metodista de São Paulo, São Bernardo do Campo, 2008.

DELMAS, Bruno. Manifesto por uma diplomática contemporânea. In: DELMAS, Bruno. Arquivos para quê? Textos escolhidos. Tradução Danielle Ardaillon. São Paulo: Instituto Fernando Henrique Cardoso, 2010, p. 125-182.

DURANTI, Luciana. Diplomatics: new uses for an old science (Part I). Archivaria, Ottawa, v. 28, p. 7-27, Summer 1989.

FONTCUBERTA, Mar de. Estructura de la noticia periodística. 2. ed. Barcelona: ATE, 1981.

GAGNON-ARGUIN, Louise. Typologie des documents des organisations: de la création à la conservation. Québec: Presses de l’Université du Québec, 1998.

GHIGNOLI, Antonella. Diplomatica. In: GUERRINI, Mauro (ed.). Biblioteconomia: guida classificata. Milano: Editrice Bibliografica, 2007, p. 908-914.

GOOD, Katie Day. From scrapbook to Facebook: A history of personal media assemblage and archives. New Media & Society, v. 15, n. 4, p. 557-573, 2013.

HEREDIA HERRERA, Antonia. Archivística general: teoría y práctica. 5. ed. actualizada y aumentada. Sevilla: Servicio de Publicaciones de la Diputación de Sevilla, 1991.

MELO, José Marques de. Jornalismo opinativo: gêneros opinativos no jornalismo brasileiro. 3. ed. rev. e ampl. Campos do Jordão: Mantiqueira, 2003.

MENCHER, Melvin. News Reporting and Writing. 12. ed. New York: McGraw-Hill, 2011.

MOURA, Washington José de Almeida. Atualidade dos estudos de biblioteca e arquivos jornalísticos. Comunicações e Problemas, Recife, v. 3, n. 2/3, p. 56-62, dez. 1968.

OTT, Katherine; TUCKER, Susan; BUCKLER, Patricia P. An Introduction to the History of Scrapbooks. In: OTT, Katherine; TUCKER, Susan; BUCKLER, Patricia P (eds.). The Scrapbook in American Life. Philadelphia: Temple University Press, 2006.

ROMERO TALLAFIGO, Manuel. Ayer y hoy de la Diplomática, ciencia de la autenticidad de los documentos. In: CARUCCI, Paola et al. Documento de archivo de gestión: diplomática de ahora mismo. Carmona: S&C, 1994, p. 11-49.

SAIBA como entreter os seus filhos. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 7 set. 1956. Suplemento feminino, p. 6.

SCHIAPARELLI, Luigi. Diplomatica e storia. Annuario del R. Istituto di Studi Superiori, Pratici e di Perfezionamento in Firenze, Firenze, p. 3-31, 1909. Disponível em: <http://www.scrineum.it/scrineum/biblioteca/schiaparelli-1909.html>. Acesso em: 15 fev. 2018.

VÁZQUEZ, Manuel. Reflexiones sobre el término “tipo documental”. In: De archivos y de archivistas: homenaje a Aurelio Tanodi. Washington: OEA, 1987, p. 177-185.

YEO, Geoffrey. Information, records, and the philosophy of speech acts. In: SMIT, Frans; GLAUDEMANS, Arnould; JONKER, Rienk (ed.). Archives in Liquid Times. ‘s-Gravenhage: Stichting Archiefpublicaties, 2017, p. 92-118.

Downloads

Publicado

2022-06-03 — Atualizado em 2022-06-20

Como Citar

Campos, J. F. G. . (2022). Uma abordagem arquivística dos recortes de jornal. OFFICINA - Revista Da Associação De Arquivistas De São Paulo, 1(1). https://doi.org/10.29327/263416.1.1-4